Nutricionista troca de time na Europa e vira destaque na imprensa mundial

12/01/2017 - 04:01

Em 2015, a assessoria de comunicação do CRN-5 produziu uma série de postagens na fanpage e uma matéria para o site oficial do órgão sobre um trecho da biografia do treinador Pep Guardiola, que falava da contratação da nutricionista Mona Nemmer pelo staff do Bayern de München. Na oportunidade, um dos cinco maiores clubes do mundo não tinha nenhum nutricionista na categoria profissional e o treinador, assustado com os hábitos alimentares daqueles atletas, exigiu a contratação de um profissional para o setor.

Pois bem. No ano passado, Mona Nemmer foi um dos reforços para a temporada 2016-2017 do Liverpool FC, um dos gigantes da Europa, agora sob o comando do treinador alemão Jürgen Klopp. Ele aproveitou a transição pela qual passava o Bayern, que trocava Pep Guardiola por Carlo Ancelotti, para convencer Nemmer a sair do clube alemão, onde trabalhava há três anos, e exibir seu talento no norte da Inglaterra.

A notícia rodou o mundo. Nemmer causou uma verdadeira revolução no clube inglês, ao adotar dietas individualizadas e cientificamente planejadas para cada atleta, usando alimentos orgânicos produzidos na região, fornecedores escolhidos a dedo, quatro refeições diárias e obrigatórias e até aulas de culinária para os jogadores aprenderem a preparar a “comida ideal” em casa.

Klopp elaborou um plano para integrar Nemmer aos atletas durante a pré-temporada da equipe, na Califórnia (EUA). Ele ele deixou a nutricionista trabalhar em segredo por alguns dias e a comida “falou” por si. Em poucos dias, os jogadores, que na pré-temporada passada costumavam comer muito e o mais rápido possível, começaram a deixar de lado seus smartphones e se concentrar na refeição, saboreando-a e aproveitando para relaxar. “A revolução estava deflagrada”, assim classificou a matéria do The New York Times sobre a nutricionista.

Mona Nemmer discute um menu com o chef Leigh Lawson, no centro de treinamento do Liverpool. Foto: Rob Stothard (The New York Times)

Com 32 anos, Nemmer diz que entrou no esporte por acidente. “Aprendi muita teoria na faculdade e me afastei do lado prático”, declarou ao jornal. Foi então que começou a estagiar como chef e depois veio a oportunidade de trabalhar nas seleções de base da Alemanha. Mesmo fazendo coisas básicas, resolveu se aprofundar em nutrição esportiva e a carreira deslanchou.

Trabalhando em conjunto com outros departamentos do clube, ela recebe boletins detalhados de cada jogador para saber o que cada um deles precisa especificamente. E sempre seguindo a filosofia do “nada é proibido, desde que com cautela”, a nutricionista se firmou como uma referência no esporte de alto rendimento.

Veja também



Fale Conosco

X

Enviando seu email...

Email enviado com sucesso!