ÚLTIMAS >


Ministério da Saúde divulga resultado da pesquisa Vigitel 2019

17 de junho de 2020, Comentários

O Ministério da Saúde divulgou o resultado da pesquisa Vigitel 2019 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico). O levantamento foi disponibilizado em  abril e  revela o perfil da população brasileira em relação às doenças crônicas mais comuns.

Desde o início do monitoramento, em 2006, o maior aumento é o da obesidade, que saltou de 11,8% para 20,3% em 2019. Ao considerar o excesso de peso, 55,4% dos brasileiros estão nessa situação. De acordo com a faixa etária, o excesso de peso tende a aumentar, sendo 30,4% para os jovens de 18 a 24 anos e 59,8% entre adultos com 65 anos ou mais.

A escolaridade é um fator que contribui para diminuição da incidência do excesso de peso: 61% para pessoas com até oito anos de estudo e 52,2% para aqueles com 12 ou mais anos de estudo. A pesquisa também apontou que 7,4% dos brasileiros são diabéticos e 24,5% hipertensos.

VIGITEL

A Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) é realizada desde 2006, nas 26 capitais e no Distrito Federal, com o objetivo de conhecer a saúde da população brasileira e orientar programas e ações que reduzam a ocorrência de doenças crônicas.

Os resultados contribuem para o monitoramento das metas apresentadas no Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil 2011-2021, o Plano Estratégico da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS 2014-2019), o Plano de Ação Global para a Prevenção e Controle das DCNT, da Organização Mundial da Saúde e das metas de DCNT da agenda 2030, dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU).

Acesse o documento: https://bit.ly/37FV77z 

Fonte: CFN