CRN-5 é destaque no Fórum Social Mundial 2018

19/03/2018 - 05:03

O Conselho Regional de Nutricionistas da 5ª Região (CRN-5) foi protagonista no Fórum Social Mundial 2018. Promovendo a “Conferência DHAA e SAN no Cenário Atual da Fome” e participando do Fórum dos Conselhos Profissionais no Combate ao EAD em Saúde, nos dias 16 e 17, respectivamente.

Na sexta-feira, mais de 150 pessoas estiveram na Tenda da Transparência para discutir temas fundamentais para a profissão com o presidente do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), Élido Bonomo; a nutricionista professora da UFBA, Sandra Chaves; e o economista e representante do Fórum Brasileiro de Saúde e Segurança Alimentar e Nutricional (FBSSAN), Chico Menezes.

Os trabalhos foram iniciados pela nutricionista Michele Oliveira, diretora do CRN-5, que alertou para a possibilidade do Brasil voltar ao mapa da fome mundial. “Apenas três anos após deixar de figurar no mapa da fome, o país corre o risco de retornar a essa lista nada honrosa, pelo estrangulamento de verbas para políticas públicas e programas de alimentação e nutrição institucionalizados na última década”.

A nutricionista Amanda Ornelas, presidente do órgão, por motivos profissionais chegou para o fechamento do evento. Em sua fala, fez uma síntese da organização, do esforço dos conselheiros e colaboradores para que o Conselho estivesse inserido no centros das discussões em um evento mundial. “Agradecemos a presença de cada um. Foram mais de 150 pessoas na nossa tenda e pudemos discutir um problema gravíssimo em alto nível, nos posicionando de maneira clara pela manutenção e defesa das políticas sociais que tiraram o país do mapa da fome e, hoje, estão ameaçadas pelo desmonte dessas estruturas”, declarou.

CONFERÊNCIA

O evento durou toda a tarde e contou com a adesão de profissionais e estudantes de todo o país, o que foi motivo de elogio por parte dos palestrantes. “O momento é crítico, é difícil, mas temos que nos unir em defesa das políticas públicas que mudaram a história de milhões de pessoas. Mas ver essa plateia interessada e motivada a lutar por essa causa é animador”, afirmou o economista Chico Menezes.

O calor e a falta de refrigeração no local cedido pelo Fórum Social Mundial não foram motivos para esvaziar o evento. Os participantes pediram para colocar as cadeiras do lado de fora, no estacionamento, e alí mesmo a conferência foi realizada, chamando a atenção de quem passava no Campus da UFBA, em Ondina.

“Eu espero que haja, mesmo, um engajamento de todas as profissões contra esse desmonte dos programas sociais e de alimentação e nutrição do país, promovidos por este atual governo. É preciso resistir a este ataque das grandes corporações da indústria de alimentos. E o Conselho de Nutricionistas da 5ª Região está de parabéns pela promoção deste evento, pois fazer esse debate é muito oportuno neste momento grave que estamos vivendo” declarou a nutricionista e professora Sandra Chaves, aplaudida de pé após sua palestra.

Para finalizar a primeira etapa dos trabalhos, o presidente do CFN, o nutricionista Élido Bonomo, apresentou números referentes aos resultados das políticas públicas de alimentação e nutrição, principalmente com relação ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Compra Institucional: “Não adianta a gente só pensar na comida no prato”, explicou aos estudantes na plateia. “Precisamos pensar no alimento desde a sua produção, com sustentabilidade. Hoje a produção da agricultura familiar estimulada pela compra institucional movimenta a economia de regiões que antes viviam em extrema pobreza. Chegamos a ver o ciclo inverso da migração, da cidade pro campo. Gente que consolidava as suas raízes, suas tradições, e agora vemos o retrocesso novamente”, destacou o presidente do CFN.

DEBATES

Profissionais não só da Nutrição participaram do evento. Veterinários; biólogos; médicos; enfermeiros; professores; assistente sociais; economistas; psicólogos e integrantes de movimentos sociais marcaram presença na tenda. “Hoje vivemos em rede e precisamos estar conectados para entender como nos unir em torno de uma causa para barrar o retrocesso. A questão da alimentação é fundamental para manter o homem do campo, no campo. Mas com dignidade e de maneira sustentável. E isso eu aprendi com os nutricionistas hoje, aqui”, disse a pedagoga Aline Figueiras, do Rio Grande do Norte.

A assistente social Elisia Almeida, do Núcleo de Atenção à Saúde da Família do município de Araçás, na Bahia, ressaltou a necessidade de união entre as categorias da área de saúde para enfrentar o desmonte das políticas públicas. “Hoje foi muito importantes estar neste debate para ter a oportunidade de falar para todos os colegas que precisamos nos unir. Esse desmonte das políticas públicas, entre elas as de alimentação e nutrição, serão sentidos em poucos tempo. É preciso que todos saiam de suas ‘caixinhas’ e entendam que a situação é grave, pois é no campo que se produz alimento e dignidade para muitas famílias e, se isso for esquecido, os problemas nas cidades podem ser ainda mais agravados. Por isso eu parabenizo o Conselho de Nutricionistas pelo debate”.

 

Acesse o álbum do evento na nossa fanpage: https://goo.gl/9wueGQ

Veja também



Fale Conosco

X

Enviando seu email...

Email enviado com sucesso!