“Qualidade na Formação e Exercício Profissional, Presente e Futuro” foi tema de Oficinas realizadas pelo CRN-5

14/06/2013 - 04:06

No dia 13 de junho de 2013, a Comissão de Formação Profissional do CRN-5, atendendo ao Oficio Circular CFN Nº 11/2013 do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), promoveu Oficinas com o tema “Qualidade na Formação e Exercício Profissional, Presente e Futuro”, na Faculdade Maurício de Nassau, em Salvador.

Participaram do evento 53 pessoas, entre estudantes e professores, sendo 16 coordenadores de cursos de graduação em Nutrição da UFBA, UNEB, Unifacs, Faculdades Ruy Barbosa, Estácio/FIB, Unijorge, Unime, FTC Salvador, Maurício de Nassau e UNIRB, de Salvador; Faculdade de Guanambi, Faculdade Nobre de Feira de Santana (FAN) e Faculdade Regional de Alagoinhas, do interior da Bahia; e Universidade Tiradentes (UNIT) e Faculdade Estácio/FASE, de Aracaju-SE.

Painel de abertura

O painel de abertura foi iniciado com a apresentação do “Panorama Nacional das Instituições de Ensino Superior”, pelo Diretor do CFN, Fábio Rodrigo Santana dos Santos. Em seguida, a fiscal do CRN-5, Izabelle Gasparini falou sobre a prática profissional percebida pela fiscalização do Conselho. “Independente das condições de trabalho, que em muitos casos é bastante precária, o Nutricionista precisa dominar sua área de atuação”, resumiu.

Representantes de entidades convidadas também apresentaram sua percepção sobre o exercício profissional do Nutricionista. O presidente do Sindicato dos Nutricionistas do Estado da Bahia (Sindnut Bahia), Walter Moraes, falou sobre a necessidade de melhoria da formação do Nutricionista e, sobretudo, de qualidade dos serviços prestados pelos profissionais, “muitos dos quais têm deixado a desejar, o que acaba prejudicando a imagem da categoria”.

Após informar que o Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar da Universidade Federal da Bahia (CECANE-UFBA) tem estimulado a contratação de Nutricionistas para atuar no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), a representante desta instituição, Lilian Silva dos Santos, disse que também se preocupa com a qualificação dos profissionais. “Em 2011 e 2012, fizemos um levantamento do perfil dos Nutricionistas que receberam assessoria do Cecane e percebemos lacunas que precisam deixar de existir”, comentou.

Representante da área técnica de alimentação e Nutrição da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB), Sônia Francisca Costa apresentou aos colegas a estrutura do seu local de trabalho, destacando que apesar das iniciativas positivas do setor, o número de nutricionistas ligados à Secretaria ainda é reduzido.

O representante da Diretoria de Atenção à Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador (SMS), Vinicius Sampaio Brandão, destacou que os nutricionistas precisam estar melhor preparados no sentido de serem inseridos nas múltiplas interfaces do campo de atuação profissional da categoria. “As deficiências atuais desestimular os gestores a planejaram novas contratações. Em Salvador, há Nutricionista que cumprem bem o seu papel, mas infelizmente, há muitos que atuam em determinados distritos que não têm respondido adequadamente às necessidades do município”, disse.

Para fechar o painel de abertura, a representante da Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (SEDES), Jainei Cardoso, afirmou que “muitos colegas nutricionistas desconhecem a Lei Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, existente desde 2006, quando na verdade muitos poderiam estar ocupando os espaços políticos para influenciar na aplicação desta legislação”.

Segundo Jainei, seria muito importante os Nutricionistas contribuíssem com a aplicação das políticas públicas relacionadas à defesa do Direito Humano à Alimentação Adequada, mas “poucos sabem diferenciar a segurança dos alimentos, ligada a questões higiênico-sanitárias, da segurança alimentar, que é um conceito muito mais amplo, que inclui até a discussão política de temas como uso de agrotóxicos e alimentos transgênicos”, destacou.

Oficinas

 Após o painel, os participantes foram divididos por grupos. A oficina “Papel dos docentes e discentes como sujeitos políticos na formação acadêmica e no fortalecimento de suas entidades” foi mediada pela Conselheira do CRN-5, Regiane Campos.

A oficina “Realidade e limitações no exercício profissional” foi mediado pela assessora técnica do CRN-5, Leny Strauch. Já a oficina “Campos potenciais para atuação” foi mediado pela Conselheira do CRN-5, Karla Vila Nova. Por fim, a oficina “Formação Profissional e a Educação Continuada”, foi facilitada pela presidente do CRN-5, Valquíria Agatte. Todas as oficinas, realizadas no turno da manhã, tiveram como objetivo a troca de experiências e informações, a fim de apontar soluções aos problemas existentes.

Café com Prosa

No turno da tarde, em uma sala com várias mesas, os participantes do “Café com Prosa” se reuniram em torno do tema “Atuação Profissional responsável na Nutrição Clínica”. Os subtemas foram “Prescrição de Suplementos Nutricionais”; “Prescrição de Fitoterápicos”; “Prescrição de Exames” e “Atendimento não presencial”.

No fechamento do evento, houve assinatura de propostas consolidadas, as quais serão incluídas no relatório final, que será enviado ao CFN.

Galeria de Imagens

 

 

 

Veja também



Fale Conosco

X

Enviando seu email...

Email enviado com sucesso!