Inserção do Técnico em Nutrição e Dietética em restaurantes comerciais

22/05/2014 - 09:05

A ampliação do número de contratações de Técnicos em Nutrição e Dietética (TND) para atuar em restaurantes comerciais na Bahia e em Sergipe ainda acontece de forma tímida, mas crescente. Para vencer os desafios inerentes à profissão, esta nova área de atuação exige que esses profissionais adquiram qualificações específicas. Adquirir novos conhecimentos também é fundamental.

“O apoio dos Técnicos é de fundamental importância para que nós, Nutricionistas, possamos oferecer produtos e refeições com mais segurança aos clientes”, acredita Ana Karina Braga, que coordena a área de Nutrição de uma rede de restaurantes em diferentes cidades da região Nordeste. “Não abro mão de contar com TND em minhas equipes”, completou a Nutricionista, que é conselheira do Conselho Regional de Nutricionistas da 5ª Região (CRN-5) na atual gestão.

Entre as atividades desenvolvidas pelos Técnicos que atuam nos restaurantes, destacam-se: recebimento de mercadorias; verificação do tempo/temperatura dos alimentos; etiquetagem correta dos insumos e validades; lançamento de notas fiscais; acompanhamento do almoço; contagem para inventário e/ou auditoria semanal; controle de qualidade; entre outras.

Qualificações

Na seleção dos Técnicos, a Nutricionista Ana Karina leva em consideração: experiências profissionais anteriores; conhecimento das Boas Práticas de Manipulação e Higienização dos Alimentos; inscrição do profissional no CRN; postura de dinamismo e liderança; interesse em atuar na área de restaurante comercial e conhecimento de informática.

Segundo a Técnica em Nutrição e Dietética Tereza Bonfim, que trabalha em restaurantes desde 2010, o TND que pretende atuar no ramo deve estar atualizado em relação aos conhecimentos sobre gestão de restaurante, aspectos higiênico sanitários – inclusive legislações mais importantes, e alimentação saudável. “Também é preciso saber trabalhar em equipe, marcar presença dentro da cozinha, de modo a influenciar positivamente todos os manipuladores de alimentos, e jamais parar de aprender coisas novas”, declarou.

Desafios

Tereza Bonfim concluiu o curso de formação técnica  em 1998, mas só em 2010 começou a trabalhar em restaurantes. Por isso, considera que o fato de não ter estagiado nem trabalhado em restaurantes anteriormente foi seu maior desafio no período de adaptação.  “Ainda bem que através de um bom treinamento e da colaboração dos colegas, pude vencer esta etapa”, recordou.

Para a Nutricionista Ana Karina Braga, “pelo fato da maioria dos cursos de formação de TND dar um foco maior na área de Dietética, seria importante haver uma reformulação http://www.vinegarhillhouse.com/generic/ curricular que acrescentasse bases sobre alimentos e bebidas. Além disso, o TND pode buscar estágios na área comercial para adquirir novas experiências”, sugeriu.

Tereza Bonfim acredita que um dos maiores desafios da rotina de um TND em restaurante é convencer diariamente todos os membros da equipe em relação ao uso constante de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e à manutenção dos cuidados higiênico sanitários. “Aprendemos muito sobre essas questões no curso de formação e por isso somos exigentes em relação a isso”, pontuou.

Outro desafio está relacionado à urgência de atender com qualidade a demandas mais intensas em determinados horários do dia. “Entre meio dia e duas horas da tarde, é uma correria só, porque há uma grande concentração de clientes para serem atendidos neste intervalo. Precisamos ser ágeis”, destacou.

Motivação

Apesar das dificuldades, inerentes a qualquer profissão, Tereza Bonfim afirma que gosta muito do que faz. “Sou responsável por manter a qualidade dos alimentos e gosto de tirar dúvidas dos clientes em relação aos nutrientes presentes nos alimentos. Alguns me perguntam sobre as sementes, os ingredientes das saladas e os grelhados que servimos… respondo sempre com muito prazer”, finalizou.

Veja também



Fale Conosco

X

Enviando seu email...

Email enviado com sucesso!