CRN-5 incentiva debate sobre revisão do Guia Alimentar da População Brasileira

18/03/2014 - 04:03

No dia 17 de março, o Conselho Regional de Nutricionistas da 5ª Região (CRN-5) organizou um encontro na Faculdade Maurício de Nassau (Campus Patamares) conduzido pela Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição(CGAN/DAB/SAS) do Ministério da Saúde. O objetivo do evento foi discutir a revisão do Guia Alimentar da População Brasileira. Encontro semelhante ao realizado em Salvador acontecerá em Aracaju-SE, para convidados, no dia 9 de abril, na Faculdade Estácio de Sergipe.

Entre os participantes do evento na capital baiana estavam professores e coordenadores de cursos de Nutrição, além de Nutricionistas do CRN-5 e do Sindicato dos Nutricionistas no Estado da Bahia (Sindnut-BA). Desde agosto de 2010, a CGAN, em parceria com o Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde – NUPENS/USP, com apoio da OPAS/OMS do Brasil, está no processo de revisão do conteúdo do Guia Alimentar para a População Brasileira.

No Encontro, após a abertura feita pelo diretor do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), Fábio Rodrigo Santana dos Santos, e pela presidente do CRN-5, Valquiria Agatte, a Consultora Técnica do CGAN, Sara Silva, fez um resumo do novo guia, destacando “Princípios”, “Para quem a publicação se destina”, “Por que revisar o Guia”, “Estrutura do Guia” e “Dez Passos para uma Alimentação Saudável”, entre outras seções da publicação que, após a revisão, teve seu número de páginas reduzidas de mais de 200 para pouco mais de 80.

Em sua apresentação, a Nutricionista Sara Silva destacou princípios norteadores da publicação revisada: 1) Saúde é mais do que a ausência de doenças; 2) Alimentação é mais do que a ingestão de nutrientes; 3) Alimentação saudável deriva de um sistema alimentar sustentável; 4) A informação esclarece consumidores e empodera cidadãos; 5) Guias alimentares são baseados em múltiplas evidências e “6) Guias Alimentares promovem Segurança Alimentar e Nutricional”.

Sara Silva esclareceu que um dos principais objetivos do Ministério da Saúde ao propor a revisão do Guia foi a necessidade de incentivar a população a dar preferência a alimentos saudáveis no lugar de produtos processados e ultraprocessados. “Hoje em dia, devido a mudanças políticas, culturais, sociais e demográficas e diversas alterações no padrão alimentar e nutricional da população, o consumo de ‘produtos’ tem sido muito maior do que o consumo de ‘alimentos’ (…). As mães já não ensinam os filhos a cozinharem. O resultado é que a opção por congelados só aumenta (…). É preciso valorizar mais o tempo que se gasta para preparar e desfrutar de uma refeição saudável”, destacou.

Sugestões

Após a explanação da Nutricionista da CGAN, diversas sugestões para a melhoria da publicação foram levantadas pelos participantes do evento. Entre as sugestões para a melhoria do Guia Alimentar da População Brasileira, destacaram-se a inclusão de medidas de porcionamento da quantidade de sal, açúcar e gorduras que poderão ser consumidas diariamente (já que o termo “com moderação” seria subjetivo); inserção de informações sobre rotulagem (para que as pessoas criem o hábito de ler e interpretar os rótulos dos alimentos industrializados); incentivo ao consumo de alimentos orgânicos (quando possível) e valorização de insumos da agricultura familiar; esclarecimento de termos como “refeição” (já que a orientação “evite comer no intervalo das refeições” pode ser entendido como abrir mão dos lanches entre as grandes refeições, porque muitas pessoas não entendem que lanches também são considerados refeições), entre outras.

Todas essas e outras sugestões só serão consideradas pelo Ministério da Saúde através da participação direta dos Nutricionistas e população em geral através do site www.saude.gov.br/consultapublica. A consulta está aberta até o dia 7 de maio. As contribuições serão avaliadas pelo Ministério da Saúde e poderão constar no documento oficial.

Veja também



Fale Conosco

X

Enviando seu email...

Email enviado com sucesso!