Copa das Confederações: gastronomia dos países participantes

1/07/2013 - 10:07

Cozinha Espanhola

Tradicional e sofisticada, a cozinha espanhola se revela diferente e saborosa em cada uma de suas regiões. Por outro lado, alguns pratos como a paella, o cocido, a tortilla e o gazpacho são conhecidos e produzidos em quase todo o país.

Determinados ingredientes também fazem a alegria de grande parte dos espanhóis. Açafrão, azeite de oliva, alho e pimentão são algumas das marcas registradas dessa especialidade culinária. A cozinha espanhola é composta por muitos pratos picantes e saborosos.

Na composição da maioria dos pratos típicos, o azeite de oliva é muito importante no controle do colesterol, é um excelente alimento para prevenir doenças cardíacas. Consumir apenas duas colheres de sopa de óleo de oliva virgem diariamente por uma semana pode reduzir significativamente seu colesterol. A queda deste nível também ajuda a diminuir a pressão sanguínea e o risco de Mal de Alzheimer. Pode auxiliar na digestão, aliviando a constipação, pode prevenir queda de cabelo, manter a pele hidratada e promover o crescimento saudável das unhas.

O único efeito negativo do azeite de oliva, a menos que você seja alérgico a ele, é que pode causar diarreias se for ingerido em grandes quantidades.Mas isto também pode ser benéfico, uma vez que o óleo age como um laxativo natural em casos de constipação. Fique atento também para seu valor calórico.

Cozinha Italiana

Como não resistir ao sabor da culinária italiana? O aroma, a aparência, o colorido, todas as características desta culinária atiçam os nossos sentidos.

A massa é o carro chef da culinária italiana, mas neste país também é muito comum o consumo de peixes e frutos do mar, já que é um território circundado de mar.

Os pratos italianos são bem rústicos, utilizam muitas ervas, como manjericão, mangerona, óregano, sálvia e outros condimentos, que dão aquele aroma que só de pensar já nos faz salivar. O pão e o azeite são imprescindíveis.

Muitas vezes, a ingestão exagerada de massas traz consequências indesejáveis à saúde, porém seu consumo equilibrado pode trazer muitos benefícios.

A massa como carro chefe é constituída de carboidrato simples (farinha refinada), fonte de energia para o organismo e auxilia também na nutrição das células do sistema nervoso.

O queijo e o tomate são os ingredientes presentes. Excelente fonte de cálcio, o queijo é fundamental para a formação e manutenção dos dentes, ossos e cartilagens. Além disso, é rico em proteínas, importantes para o desenvolvimento do organismo. Já o tomate é fonte de minerais, como: potássio, cálcio, fósforo, sódio, magnésio e ferro, além de vitaminas A, B e C. Contém também licopeno, substância antioxidante responsável por evitar o envelhecimento precoce e o câncer de próstata.

Quando adicionados aos ingredientes, os temperos orégano e manjericão também promovem benefícios à saúde. O manjericão possui ação antiinflamatória e auxilia na digestão. Já o orégano ajuda a aliviar dores de cabeça e tem ação antibacteriana e antiinflamatória.

Já em contra partida as massas podem conter outros alimentos que não trazem muitos benefícios ao nosso organismo, como cheddar, catupiry, bacon, etc. Esses alimentos são ricos em gordura de origem animal, que quando consumidos em longo prazo podem trazer problemas como colesterol alto e conseqüentemente um infarto ou derrame. Seu consumo exagerado também traz malefícios à saúde.

Todo alimento pode ter sua opção mais saudável, cabe a nós sabermos escolher a melhor opção para a nossa saúde!

Cozinha Japonesa

A culinária japonesa desenvolveu-se ao longo dos séculos como um resultado de muitas mudanças políticas e sociais no Japão. A culinária eventualmente passou por um processo de evolução com o advento da Idade média, que marcou o início da expansão do elitismo com a era do domínio Xogum. No começo da era moderna, mudanças significantes ocorreram, resultando na introdução de elementos de culturas não-japonesas, principalmente da cultura ocidental, no Japão.

A culinária tradicional japonesa é dominada pelo arroz branco (hakumai, 白米), e poucas refeições seriam completas sem ele. Qualquer outro prato servido durante uma refeição – peixe, carne, legumes, conservas – é considerado como um acompanhamento, conhecido como okazu. É utilizado um tipo de talher diferente, denominado hashi.

Do ponto de vista nutricional, o aumento do consumo de proteína animal fez a nutrição dos japoneses alcançar um equilíbrio ideal. Excetuando-se o uso de sal, que está acima do desejável, estatisticamente o povo japonês passou a fazer as refeições mais balanceadas do mundo. O fato de o Japão ter se tornado o país de maior longevidade do mundo é atribuído aos seus hábitos alimentares saudáveis.

Principais ingredientes: Arroz, batata doce, beringela, espinafre, gobo (bardana),hakusai (acelga),nabo, negui (cebolinha), nira, pepino, renkon (raiz de lótus), takenoko (broto de bambu), congumelos .

 

Culinária Uruguaia

 Na verdade, não há nada na culinária uruguaia que se compare à paixão pela carne vermelha preparada de maneira muito característica.

São consumidos diversos cortes de gado, como no Brasil. A carne é temperada apenas com sal grosso, colocado no momento de levar o corte à parrilla (grelha), para evitar a desidratação. No entanto, o que diferencia o churrasco uruguaio do brasileiro é basicamente a raça de gado utilizado para corte.

 Embora os uruguaios tenham, como os brasileiros, a costela (tira de asado) como um dos seus cortes preferidos, eles preferem também o entrecote (bife ancho), enquanto o Brasil prefere a picanha.

 Na parrillada, as carnes são assadas sobre uma grelha, a parrilla, que fica mais próxima da fonte de calor (20cm), assando o alimento apenas pelo sistema de irradiação, enquanto que no churrasco se assa também por convecção.

 O churrasco, diferentemente do nosso, é preparado com lenha em substituição ao carvão, o que provoca um efeito defumado. A bebida mais apreciada é o uísque, tomado como aperitivo antes dos assados.

 Em quantidades adequadas, as carnes em geral são alimentos ricos em proteínas e aminoácidos, nutrientes importantes para manutenção e constituição de tecidos “músculos, cabelo, unhas e etc.” participando de importantes processos no organismo, como, por exemplo, na cicatrização de cortes e ferimentos.

Além disso, as carnes vermelhas são ricasem Ferro M(tipo absorvido mais facilmente pelo organismo quando comparado com os vegetais) e Vitamina B12, ambos essenciais na proteção contra as anemias. Carne vermelha também fornece minerais como o potássio, fósforo, magnésio e zinco além de vitaminas do complexo B, ómega 6 e 3 que desempenham importantes funções para manutenção do nosso organismo.

A carne vermelha é um alimento que também possui suas restrições, principalmente quando consumida em excesso. Os cortes mais gordos podem desencadear algumas doenças, em razão dos altos teores de gordura saturada e colesterol. Por este motivo é importante escolher cortes magros como, por exemplo, filet mignon, patinho, lagarto, entre outros, e de preferência, consumi-los grelhados.

 Culinária Brasileira

A culinária do Brasil é fruto de uma mistura de ingredientes europeus, indigenas e africanos. Muitas das técnicas de preparo e ingredientes são de origem indígena, tendo sofrido adaptações por parte dos escravos e dos portugueses. Esses faziam adaptações dos seus pratos típicos substituindo os ingredientes que faltassem por correspondentes locais. A feijoada, prato típico do país, é um exemplo disso.

A unanimidade nacional é, talvez, o arroz e o feijão, cujo preparo varia conforme a região. No entanto, a mistura de dois ingredientes tão comuns na mesa do brasileiro, apesar de característica, ainda não é suficiente para resumir toda a complexidade e a riqueza da culinária nacional.

O consumo desses alimentos juntos traz mais benefícios à saúde que quando ingeridos separadamente. Apesar de ser uma rica fonte proteica, o feijão guarda certa desvantagem isoladamente, pois o organismo não consegue digerir todas as proteínas que ele oferece. Porém, quando o alimento é consumido com outro cereal, como o arroz, o organismo consegue fazer a digestão de todas as vitaminas e proteínas.

O Guia Alimentar do Ministério da Saúde prevê a ingestão de arroz e feijão todos os dias. A proporção ideal é uma porção de feijão para duas de arroz. O consumo diário desses alimentos também ajuda a prevenir doenças. A fibra do arroz e a do feijão reduzem o risco de distúrbios cardiovasculares, diabetes, câncer de cólon, entre outros. E mais: contribuem para um melhor funcionamento do intestino.

Outro prato que pode se tornar um inimigo nutricional é a famosa feijoada, com sua mistura de carnes: linguiça, toucinho, orelha de porco, rabo, pé, carne-seca, costelinha e lombo. A grande quantidade de gorduras se sobrepõe à riqueza dos nutrientes do feijão preto com arroz.

Uma boa notícia para adeptos de uma boa feijoada é que existe a versão light. Reduz a gordura sem perder o sabor.

 Região Norte

Principais ingredientes: mandioca, cupuaçu, açaí, pirarucu, urucum (açafrão brasileiro), jambu, guaraná, tucunaré, castanha do Pará.

Pratos típicos: Pato no Tucupi, Caruru, Tacacá, Maniçoba.

Região Nordeste

Principais ingredientes: Azeite de dendê, mandioca, leite de coco, gengibre, milho, graviola, camarão, caranguejo.

Pratos típicos: Acarajé, vatapá, caranguejada, buchada, paçoca, tapioca, sarapatel, cuscuz, cocada.

Região Centro-Oeste

Principais ingredientes: Pequi, mandioca, carne seca, erva-mate, milho

Pratos típicos: Arroz com pequi, picadinho com quiabo, sopa paraguaia, empadão goiano, caldo de piranha, vaca atolada.


Região Sudeste

Principais ingredientes: arroz, feijão, ovo, carnes, massas, palmito, mandioca, banana, batatas, polvilho

Pratos típicos: Tutu de feijão, virado à paulista, moqueca capixaba, feijoada, picadinho paulista, pão de queijo.

Região Sul

Principais ingredientes: carne bovina e ovina, farinha de milho, erva-mate

Pratos típicos: Barreado, churrasco, galeto, sopa de capeletti, arroz carreteiro, sopa catarinense.

 

Veja também



Fale Conosco

X

Enviando seu email...

Email enviado com sucesso!