Campanha para redução de açúcar e sal destaca orientações sobre rótulos

14/08/2014 - 09:08

A Rede Asbran e Filiadas lança mais uma etapa da campanha nacional que busca incentivar a redução do consumo de sal e açúcar na população brasileira. Este mês, quando se comemoram os 65 anos de criação da Associação Brasileira de Nutrição e o DIA DO NUTRICIONISTA, ambos dia 31, a campanha pretende despertar o profissional e estudante para a prática da redução do consumo de sal e açúcar no dia a dia, envolvendo pacientes, familiares e amigos. Também destaca a importância de se observar com atenção as informações contidas nos rótulos de alimentos.

“Ler os rótulos dos alimentos é fundamental, pois eles trazem dados sobre a composição e a origem dos produtos, possibilitando melhor controle e redução de riscos relativos a doenças específicas, que possam envolver estes alimentos. A maioria da população se importa apenas com a quantidade de calorias descrita na embalagem, mas é importante saber que não são apenas as calorias que ditam uma dieta balanceada e que muitos componentes alimentares determinam os resultados de uma alimentação adequada para a saúde humana”, explica a nutricionista Telma Oliveira, da equipe Asbran.

Todo produto deve apresentar as informações nutricionais no rótulo. Ao comprar um alimento, observe se o rótulo contém a tabela nutricional mais os dados do fabricante, o lote, os prazos de validade. Avalie na informação nutricional o valor energético, proteínas, gorduras, carboidratos e fibras, e valores de ingestão diários. Saber identificar os dados na rotulagem do alimento é importante (como, por exemplo, alta quantidade de sódio e açúcar), pois os excessos podem ser prejudiciais à saúde.

Identificando a quantidade de sal e açúcar

A porção citada no rótulo é a quantidade média do alimento que deve ser consumida por pessoas saudáveis.

O sódio está presente no sal de cozinha e em grande quantidade nos alimentos industrializados, entre eles os embutidos, pacotes de salgadinhos e conservas. O excesso de sódio prejudica muito o organismo humano, provocando retenção de líquidos e aumento da pressão arterial. Vale lembrar que não adianta controlar o sódio nos alimentos industrializados se não diminuir o sal no preparo de alimentos. Portanto, equilibre toda a refeição.

A recomendação do consumo máximo de sódio de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 2000mg (2g) de sódio por pessoa ao dia, equivalente a 5g de sal, sendo que 40% do sal são compostos de sódio. Se a quantidade de sódio for superior a 400mg, em 100g do alimento, o alimento é considerado rico em sódio e deve ser evitado.

Açúcares no rótulo indicam a quantidade de açúcar contido nos alimentos, mas nem todos os produtos separam o açúcar do carboidrato na tabela. Fique atento a isso, especialmente se a quantidade de ambos for elevada. Outra informação a observar é que o açúcar tem diversos nomes nos rótulos: açúcar mascavo, açúcar cristal, mel, xarope, melado, glicose, dextrose, maltose, concentrados de frutas, entre outros. Segundo a OMS, as recomendações para o

consumo de açúcar simples, do total dos açúcares ou carboidratos da dieta, foram reduzidas de 10% para 5% do total das calorias diárias. Atenção para a ingestão de bebidas, massas, doces, pães e,

principalmente, no açúcar presente nos sucos de frutas.

Apoie a campanha

A campanha pela redução do consumo de sal e açúcar, promovida pela Rede Asbran e Filiadas, vem recebendo importantes apoios, como o dos ministérios da Saúde (CGAN), do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; de universidades federais; Sistema CFN-CRNs; Rede Nutri; Sindicato dos Nutricionistas da Bahia e de Goiás; organizações não-governamentais, como Ideias na Mesa; entre outras entidades ligadas ao segmento da Nutrição.

Veja também



Fale Conosco

X

Enviando seu email...

Email enviado com sucesso!