Ato Médico: profissionais da saúde criam agenda de mobilização pela manutenção dos vetos da presidenta Dilma

30/07/2013 - 01:07

Agosto começa com agenda repleta de ações para as categorias da saúde. Entidades profissionais, sindicais e movimento social ligadas à saúde promovem um Ato Nacional na terça-feira (6/8), em Brasília, com concentração, às 8 horas, em frente à Biblioteca Nacional, e saída às 10 horas rumo ao Congresso Nacional.

Eles pedem a manutenção do veto presidencial à Lei 12.842/2012, conhecida como Ato Médico, que regulamenta o exercício da medicina. Em trâmite há onze anos, a matéria tem sido questionada por limitar a atuação de outros profissionais da saúde.

Já no dia 5, às 15 horas, no Congresso Nacional, será feita a entrega das assinaturas coletadas pelo movimento Saúde+10 – que pretende criar um Projeto de Lei de Iniciativa Popular que assegure o repasse efetivo e integral de 10% das receitas correntes brutas da União para a saúde pública brasileira. O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou que irá interromper a sessão do plenário para receber as (os) profissionais da saúde.

Na ocasião, haverá uma mobilização com distribuição de panfletos pedindo a manutenção do veto ao Ato Médico, com objetivo de sensibilizar os parlamentares para aprovarem a Lei da forma como está.

O dia 20 de agosto também será marcado por uma vigília na Capital Federal. A manifestação contará com a presença de profissionais da saúde no Congresso para o acompanhamento da deliberação do veto presidencial, que está prevista para acontecer nesta data, de acordo com o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Mais ações

Campanha de esclarecimento da população nos locais de trabalho em todo País acontece no dia 29 de julho, quando serão fornecidos esclarecimentos à população sobre a importância da manutenção dos vetos ao Ato Médico. Já no dia 1º de agosto, será marcado como Dia Nacional da Paralisação dentro dos ambientes de trabalho, onde profissionais vão dialogar com a população sobre os vetos presidenciais.

As datas serão marcadas pelo uso de camisetas e fitas verdes simbolizando o apoio ao trabalho em equipe multiprofissional, além da distribuição de panfletos.

Na quarta-feira (7/8), às 15h, as mobilizações serão em frente às assembleias legislativas dos estados.

Manifeste-se pela internet

Além da presença nas ruas, interessados (as) em manifestar apoio aos vetos presidenciais, podem fazê-lo pela internet. Foram organizadas duas formas de contribuição com objetivo de dar força e voz ao movimento, um manifesto e uma petição pública.

O manifesto é enviado aos parlamentares e frisam a defesa aos vetos presidenciais, que já conta com aproximadamente 1,8 mil assinaturas (para enviar, http://www2.pol.org.br/main/manifesto_veta_dilma.cfm).

A petição pública: 100 mil pela saúde – abaixo-assinado pela manutenção do veto parcial da presidenta Dilma Rousseff ao PL do Ato Médico, para o Congresso Nacional. Mais de 8 mil pessoas assinaram (para assinar, clique http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoListaSignatarios.aspx?page=1&sr=1&pi=P2013N42534). A meta é chegar a 100 mil adesões.

Programe-se!

29/7 – mobilização nos espaços de trabalho;

1º/8 – paralisação das atividades para dialogar com a população sobre os vetos presidenciais;

5/8 às 15h – distribuição de panfletos e manifestação no Congresso Nacional durante a entrega das assinaturas do movimento Saúde+10;

6/8 às 8h – Ato Nacional pela manutenção dos vetos ao Ato Médico em frente na Biblioteca Nacional rumo ao Congresso Nacional;

7/8 às 15h – mobilizações em frente às assembleias legislativas dos estados;

20/8 – vigília junto ao Congresso Nacional.

Veja também



Fale Conosco

X

Enviando seu email...

Email enviado com sucesso!